Agtechs no Brasil: Desafios e cenários de crescimento

Segundo o relatório 2021 Farm Tech Investment Report, produzido pelo fundo de venture capital AgFunder, as AgTechs (startups que desenvolvem soluções voltadas para o meio agrícola) captaram US $7,9 bilhões em 2020, no mundo todo. 

Tal dado simboliza que o setor está se desenvolvendo e gerando promissoras lucratividades. Ainda assim, o Brasil tem um caminho a percorrer para melhorar seu destaque neste campo. 

O país aparece em 11º lugar, um avanço em relação a 2015 onde ficava abaixo da 15ª posição, mas ainda existem desafios a serem resolvidos para que haja melhor rankeamento nos próximos anos. 

Saiba a seguir quais categorias atraem investimento no país!

Categorias que estão escalando no país

Entre todas as categorias de startups voltadas para o agronegócio, as soluções voltadas para agricultura de precisão são as que mais têm gerado investimento no Brasil, segundo a plataforma Distrito, que é especializada nesse tipo de geração de dados. 

Confira as colocações e respectivos investimentos: 

1º lugar – Agricultura de precisão, tecnologias voltadas para coletas e gestão de dados. Investimento: $85.6M

2º lugar – Marketplace. Investimento: $27.6M

3º lugar – Automação e Robotização. Investimento: $22.2M 

4º lugar – Biotecnologias. Investimento: $11.9M

Percebe-se que o país está evoluindo no quesito sustentabilidade no Agro, o que gera esperança para que cada vez mais AgTechs apresentem soluções voltadas para esse meio. 

Desafios da evolução digital no Agro

Ainda há uma barreira de comunicação entre as startups com soluções voltadas para o Agro e o produtor rural. O fato é que de todo o investimento já feito até agora nas startups, mais da metade ocorreu nos últimos 3 anos. 

Um curto período de tempo se considerarmos que o aporte total de investimentos ($160M) começou a ser contabilizado em 2009. Ou seja, nunca foi tão necessário e favorável apostar em uma AgTech, mas também é preciso entender o que atrasa que essa evolução ocorra ainda mais rapidamente. 

É preciso compreender para quem as soluções são feitas, mesmo que o objetivo seja melhorar e desenvolver toda a cadeia produtiva. O produtor precisa entender não só as vantagens a longo prazo, mas a curto e médio também. 

É importante falar de sustentabilidade e boas práticas, mas também que haja o entendimento que financeiramente é lucrativo e viável trazer a tecnologia para o campo. 

Quer ficar por dentro das inovações no Agro? Siga a página da NovoAgro Ventures no Instagram. 

Fontes: Relatório 2021 Farm Tech Investment Report, Distrito Agtech Mining Report. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.